O que você anda dizendo a si mesmo? - Maria Fernanda Medina Guido

O que você anda dizendo a si mesmo?

Há muitos anos eu estava assistindo a um programa de televisão e um entrevistado perguntou aos participantes: “se você pudesse voltar ao tempo, encontrar-se consigo mesmo, com 20 anos de idade, e tivesse a oportunidade de dizer somente uma frase, o que você diria?” Lembro de ter respondido: “vai ser muito difícil, mas vai dar tudo certo”.

Já faz um tempo em que sinto que esse “deu tudo certo” chegou, afinal, gosto muito da vida que tenho, aprendi a gostar mais de mim, me conheço melhor e digo com muita convicção que já há algum tempo os anos que vem sido somados não me assustam mais. Ao falar minha idade percebo o quanto o número soa incômodo para algumas pessoas e acho graça. Não sinto desconforto ao pronunciar: 36! Às vezes sinto saudade da capacidade que meu corpo tinha de se recuperar rapidamente de ressacas, noites mal dormidas e gripes, mas só. De resto não troco meus 36 por nenhuma fase que eu tenha vivido antes, não gostaria de voltar a ter 26 e todas as inseguranças e angústias que eu tinha ou ter 16 e não ter o menor controle do que eu sentia ou pensava rs. Hoje me peguei com vontade de conversar com a Fernanda do passado como nunca fiz e nunca fizeram (talvez seja a falta de luz que me deixou nostálgica rs), e gostaria de propor o mesmo exercício de autocuidado a você. O exercício é simples, consiste em refletir o que você diria a si mesmo em momentos onde tudo deu certo ou deu muito errado, se tratando com o mesmo cuidado que você teria com uma pessoa que gosta muito. Voltar a situações de sua vida que você considere marcantes, analisá-las novamente e diante de novas perspectivas dizer a si mesmo o que tiver vontade. Só reforçando, é um exercício de autocuidado. Nada de críticas ou broncas ok? Deixo aqui como fiz o meu para exemplificar.

À Fernanda de 5 anos gostaria de dizer que é nesta fase em que as pessoas começam a sinalizar que sua aparência física não é adequada embora você não enxergue assim, e que isso trará algumas marcas. Infelizmente 30 anos depois ainda vivemos numa sociedade que preza muito mais a aparência física que outras partes tão importantes de nós, mas não há nada de errado com você e você viverá muitas coisas boas em sua vida mesmo só entendendo isso de fato aos 29 anos.

À Fernanda de 10 anos gostaria de contar que você estava certa em sua teoria, casamento é bem parecido ao que o Legião Urbana cantava em “o mundo anda tão complicado” e por um dos mistérios da vida, essa música tocará no rádio do seu carro, aleatoriamente, 23 anos depois, no dia do seu “casamento”, te relembrando destas manhãs que você passava sentada no chão do quarto, ouvindo rádio e criando essas teorias esquisitas para alguém de 10 anos rs.

À Fernanda de 13, preciso dizer que 1995 será um ano bem difícil. Muitas mudanças, muitas dores, muitas situações que você não estava preparada para viver, e que confesso que algumas decisões relacionadas a forma de lidar com as coisas que começam nesta fase, foram equivocadas, mas tudo bem, elas serão consertadas no futuro. Admiro sua força e sua coragem e embora clichê, só posso te dizer: “vai passar”.

Se eu encontrasse a Fernanda de 19 anos devastada por não ter passado no primeiro vestibular prestado e que por conta disso teve um ano de rebeldia, com cabelos tingidos de vermelho e outras decisões duvidosas rs hoje eu provavelmente diria: “vai viver”. Cometa seus erros, logo ali aos 21 a vida te dará novamente uma rasteira. Você perderá alguém muito importante, e apesar da vida te permitir um tempo para digerir e se despedir, aos 36 ficará muito claro como essa falta pesa todos os dias.

À Fernanda de 23 na impossibilidade de poupá-la de tudo que virá, só posso dizer, vão reduzir sua autoestima a pó. Você irá por um tempo realmente acreditar que está tudo errado em você, você irá duvidar da sua capacidade tanto pessoal quanto profissional. Você perderá a fé em si mesma e parecerá que tudo que te contaram desde os 05 estava certo, mas não está. Serão anos difíceis, mas aos 29 você finalmente tomará às rédeas da situação, e as coisas começarão a entrar nos eixos.

À de 36 só posso dizer honestamente, que orgulho tenho de você! Quantas reinvenções, quantos recomeços, quantos tropeços, mas quantos acertos. Acredito que para você só há uma mensagem a deixar: “relaxa! Já deu certo”.

E a você, que leu esses meus devaneios até o final, gostaria de dizer que embora passemos a vida esperando aprovação externa, no fundo só precisamos que uma pessoa nos aprove, nós mesmos. Ninguém acorda de manhã disposto a tomar decisões erradas que transformarão a vida num caos. Fizemos o melhor que podíamos com o que tínhamos de informação, com o tempo que tivemos para elaborar algumas questões, diante do turbilhão de sentimentos presentes. Portanto, procure reconsiderar estes duros julgamentos que você faz de si. Este exercício pode parecer insignificante mas não é. Existem muitas partes dentro de nós esperando somente essa aprovação para poderem partir de nossos pensamentos, se lhe parecer viável, experimente.

Com carinho, M Fernanda <3

Sem comentários »

    Deixe um comentário:

    Sua mensagem foi enviada com sucesso. Obrigado.